Afinal, como calcular a depreciação de máquinas?

postado em: Finanças | 0

Seja por obsolescência, desgaste natural ou uso, qualquer tipo de maquinário em uma empresa sofre depreciação. Isso significa que esses ativos perdem valor com o tempo, até o momento em que invariavelmente se tornam inúteis para a produção ou sucata.

Para otimizar a despesa operacional de qualquer empresa, é muito importante saber calcular a taxa de depreciação de máquinas. E é sobre isso que falaremos no post de hoje. Acompanhe!

Por que calcular a depreciação?

A principal razão para saber o valor da depreciação de um maquinário é estimar melhor os valores cobrados por um produto final e se assegurar de que a operação não é deficitária. Ou seja: ter todos os gastos com a produção a mão para ter certeza que não está pagando para trabalhar.

Ao saber quanto de valor seu equipamento perde ao mês, você deve incluir essa conta nos seus gastos e evitar surpresas. Não é raro o caso de empresários inexperientes que não conseguem ‘fechar as contas’ por planejamentos financeiros ruins com custos escondidos como a depreciação, que cedo ou tarde deverão ser considerados.

Como calcular a depreciação de máquinas?

Existem diversas maneiras de fazer essa conta, mas o método mais usado é o linear. Ele é simples e bem eficiente para estimar a depreciação de qualquer maquinário. Antes de chegar à fórmula, será preciso estimar três variáveis: Vi, Vf e n.

Vi (Valor Inicial)

Vi é o valor inicial do equipamento. Sem mistérios aqui, basta inserir o custo com aquisição dele. Caso seja uma máquina já utilizada na empresa e essa é a primeira vez que a depreciação será estimada, será preciso considerar o valor atual do bem. Para isso, basta pesquisar pela compra do mesmo modelo em condições similares de uso e estabelecer um valor aproximado.

Vf (Valor Final)

Vf é o valor final do maquinário, o quanto ele vale após o término da sua vida útil. Muitos bens se tornam apenas sucata após a vida útil, então o valor final pode ser muito próximo de zero. Outros, como veículos, podem ser revendidos no fim da vida útil para a empresa, portanto é preciso um pouco de pesquisa para chegar em um Vf razoável.

n (Número de Ciclos de Vida Útil)

Por fim, n é o número de ciclos de vida útil que o bem dura. Alguns equipamentos vêm com essa especificação no manual. Para outros, pode ser preciso entrar em contato com o fabricante ou pesquisar premissas. Os casos mais difíceis são daquelas máquinas que já estavam em operação e, pela primeira vez, será calculada a depreciação. Para elas, será preciso considerar o tempo de vida restante.

Fazendo o cálculo

A etapa final para calcular a depreciação de máquinas é colocar todos os dados na seguinte fórmula:

(Vi – Vf)/n = taxa de depreciação por ciclo.

Portanto, uma escavadeira hidráulica nova que tenha um Valor Inicial (Vi) de R$ 800.000,00 e, ao fim de 20 anos, (n) tenha um Valor Final (Vf) de R$ 100.000,00, teria uma depreciação anual de R$ 35.000,00 ao ano.

Ou seja, R$ 800.000,00 menos R$ 100.000,00 totalizam R$ 700.000,00. Dividindo por 20, o valor final é R$ 35.000,00.

Para calcular n é possível usar qualquer unidade de tempo, sejam anos, meses, dias ou até horas: o ideal é encontrar um ciclo que encaixe nas demais contas de empresa. Portanto, se fizer mais sentido para a minha empresa calcular a depreciação da escavadeira hidráulica em meses, basta dividir R$ 35.000,00 por 12, chegando a um valor de 2.916,67 de depreciação mensal.

Então, aprendeu mais sobre a depreciação de máquinas? Assine nossa newsletter agora e receba sempre dicas como essa para deixar sua gestão financeira cada vez mais eficaz!

Agora, se você precisar de crédito para sua empresa e estiver sem tempo para a burocracia dos bancos, conte com a BizCapital.

Peça uma proposta sem compromisso: direto.bizcap.com.br

Visite nosso site: www.bizcap.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *