15 dez 2017

Como saber se as tarifas do meu banco não são abusivas?

Como saber se as tarifas do meu banco não são abusivas?

Você sabe quanto gasta anualmente com tarifas do banco? Cobranças abusivas ou mesmo ilegais podem estar corroendo o seu patrimônio. Afinal, não é à toa que estas são as reclamações mais comuns de quem contrata serviços bancários.

Neste post, vamos ajudar você a entender melhor como funcionam as taxas de serviços dos bancos. Aprendendo a identificar cobranças indevidas, você poderá cortar custos desnecessários, além de fazer valer os seus direitos! Acompanhe!

Como identificar abuso na tarifa do banco?

Geralmente, o consumidor sequer sente o peso das tarifas bancárias. É um dinheiro que vai saindo aos poucos, sem que o usuário faça o controle de quanto está pagando e por quê.

Portanto, o principal fator que permite cobranças abusivas é o desconhecimento do cidadão sobre a lei e sobre seus direitos.

Tarifas abusivas costumam ser cobradas nas seguintes situações:

  • valores altos demais: compare os valores das taxas e os juros praticados entre bancos diferentes;
  • cobranças por serviços que você não utiliza: analise o contrato e verifique se o seu pacote de serviços está de acordo com o seu perfil e suas necessidades;
  • cobranças por serviços que deveriam ser gratuitos: observe o seu extrato com atenção e questione todas as taxas cobradas.

Em todos os casos, conte com a orientação de um advogado. O contrato do banco pode ser questionado a qualquer tempo, principalmente se houver alguma das irregularidades acima.

Quais serviços não podem ser cobrados?

O Banco Central, por intermédio das suas regulamentações, garante ao usuário uma série de serviços sem custos, que o banco é obrigado a oferecer. Confira!

Emissão de boletos bancários

Em nenhuma hipótese o banco pode cobrar taxas de emissão de boletos. Se você está pagando um financiamento, por exemplo, todos os custos operacionais já estão embutidos nas parcelas e nas taxas de juros.

Liquidação antecipada de financiamentos

Se você vai pagar antecipadamente um empréstimo ou financiamento, não é justo que o banco cobre uma taxa por isso, não é mesmo? Algumas instituições financeiras tentam compensar que não vão receber de juros, cobrando essa tarifa.

Segunda via do cartão de débito

É comum alguns bancos enviarem novos cartões sem a solicitação do cliente. Nesses casos, a cobrança de taxas é proibida. Em outras situações em que o usuário necessite e faça uma solicitação, o banco poderá cobrar um valor pelo serviço.

Taxa de serviço em conta inativa

Se você não movimenta a sua conta em um período de seis meses, caracteriza-se uma conta inativa. O banco é proibido de cobrar qualquer taxa nesse caso, pois não há nenhum serviço sendo prestado.

Taxa de manutenção em conta-salário

Se o usuário utiliza a conta apenas para receber o seu salário, o banco não pode cobrar nenhuma taxa. Existe um pacote básico para esse perfil de usuário, que o banco é obrigado a oferecer sem custos.

Tarifa maior do que o saldo da conta

O banco não pode deixar o seu saldo negativo por causa da cobrança de taxas. Ou seja, o valor da taxa não pode ser maior do que o seu saldo. Isso costuma acontecer quando o usuário mantém um valor mínimo na conta, apenas para mantê-la ativa.

Taxa de abertura de crédito

Quando você abre a sua conta, o banco pode cobrar uma taxa de crédito. Porém, o consumidor não deve pagar novamente essa tarifa toda vez que pedir um empréstimo ou financiamento.

Quais são os outros serviços bancários gratuitos?

Os bancos são obrigados a oferecer um pacote básico, com serviços cuja cobrança é proibida. São eles:

  • cartão de débito;
  • dez folhas de cheque mensais;
  • até quatro saques mensais;
  • até dois extratos mensais;
  • consultas ilimitadas pela internet;
  • duas transferências por mês;
  • compensação de cheques;
  • fornecimento, até 28 de fevereiro de cada ano, do extrato consolidado com todas as tarifas.

Em muitos casos, uma conversa com o gerente é suficiente para reverter cobranças indevidas. Em outros, a questão deverá ser resolvida judicialmente.

O importante é que você questione as tarifas, já que muitas instituições só deixam de fazer cobranças indevidas quando o cliente toma providências.

E aí? O que achou desse post sobre as tarifas do banco? Quer saber mais? Siga-nos nas redes sociais — estamos no Facebook e no LinkedIn — e acompanhe nossos próximos conteúdos!

 

Agora, se você precisar de crédito para sua empresa e estiver sem tempo para a burocracia dos bancos, conte com a BizCapital.

Peça uma proposta sem compromisso: bizcapital.com.br/direto

Visite nosso site: bizcapital.com.br

ver tudo sobre: dicas de gestão