16 ago 2018

Benchmarking: Como os concorrentes podem ajudar no crescimento da empresa

leitura de 6 min
Benchmarking: Como os concorrentes podem ajudar no crescimento da empresa

Benchmarking: leia mais sobre o método utilizado para fazer sua empresa crescer observando as práticas dos concorrentes na hora de montar suas estratégias internas.

A verificação dos resultados de outras companhias para medição de processos internos se dá através do benchmarking. Essa técnica foi e é muito utilizada por empresas de diversos segmentos de mercado. 

O benchmarking surgiu na americana Xerox. Nos anos 1970 a empresa já fazia pesquisas sobre seus concorrentes e utilizava os dados para melhorar seus resultados. Mas foram os japoneses que otimizaram a ferramenta e a usaram para dominar o mercado automobilístico nos anos 1980.

Hoje, o benchmarking é um conceito muito utilizado no mundo corporativo. Gestores de todos os níveis fazem seu uso tanto para atividades estratégicas quanto para as mais rotineiras. Entender o poder dessa ferramenta é fundamental para melhorar os resultados de uma empresa.

 

Afinal de contas, o que é benchmarking?

O Benchmarking é o processo de avaliar o comportamento de outras empresas para a criação de novas estratégias internas. Com essa técnica, é possível aperfeiçoar seus próprios métodos e desempenhos. A ideia por trás da metodologia é se inspirar no que está dando certo e evitar o que não gerou bons resultados. 

O uso do benchmarking como ferramenta de gestão pode beneficiar sua empresa com a experiência de outros empreendimentos. As companhias podem verificar quem está obtendo as melhores performances e colocar o resultado observado como uma meta interna. É uma maneira bastante prática de se eleger metas, pois sabe-se que o resultado é alcançável.

Um exemplo já citado acima é a Xerox, pioneira nessa técnica. A fabricante desmontava os equipamentos de suas concorrentes Japonesas para entender como elas conseguiam preços abaixo do seu no mercado.

Resumindo, o processo é uma pesquisa detalhada que possibilita comparar serviços e metodologias utilizadas pelos concorrentes. Utilizando essa técnica é possível melhorar o nível de operação. Os benchmarks podem ser estabelecidos para todos os tipos de operações e todos os setores podem se beneficiar desta ferramenta.

 

>>> Empréstimo sem burocracia para sua empresa? Peça uma proposta sem compromisso com a BizCapital clicando aqui!

 

Os tipos de benchmarks e para que cada um deles serve

Existem basicamente, 5 tipos de benchmarks utilizados como ferramenta de gestão, cada um com sua finalidade específica, são eles:

  • Benchmarking Interno: Este tipo de benchmark se caracteriza pela utilização de padrões da própria organização como metas dos indicadores. Como exemplo, poderíamos usar o caso de uma empresa que abriu uma nova filial e estabelece como metas para ela, os resultados já obtidos na matriz.
  • Benchmarking Competitivo: Este é um dos benchmarks mais famosos. Nele, o ponto de referência é construído a partir de resultados dos concorrentes. Observa-se quem está obtendo melhor performance em uma determinada atividade e se utiliza seus resultados como meta.
  • Benchmarking Funcional: Este tipo de benchmark prioriza processos, ou seja, o resultado de uma atividade específica. Ele pode ser aplicado dentro da própria organização para a comparação entre processos semelhantes em áreas diferentes. Um exemplo seria o tempo de entrega praticado pelas equipes de logística dentro de uma mesma transportadora.
  • Benchmarking Genérico: Este modelo procura tratar processos semelhantes, porém em atividades empresariais diferentes. Um exemplo seria o tempo de entrega de um determinado produto, sendo que a empresa modelo é um ecommerce de calçados enquanto a empresa seguidora é uma loja online de eletrônicos.
  • Benchmarking Colaborativo: Aqui a meta é de melhoria coletiva em relação a uma meta específica para um grupo de empresas. Um exemplo, seria a meta de redução de emissão de gases por uma associação de siderúrgicas. Todas trabalharão em conjunto para atingir a meta estabelecida coletivamente.

Como fazer benchmarking?

Não existe uma receita de bolo para a execução do benchmarking competitivo, contudo, alguns passos podem ajudar a organizar e implementá-lo de maneira assertiva. Os principais são:

  • Avaliação interna: Aqui, os processos e práticas empresariais são avaliados para o entendimento de onde a organização está e onde ela quer chegar. Nesta fase também busca-se entender como a organização aprende, ou seja, qual é o melhor método de aproximação aos resultados desejados.
  • Identificação das empresas ou processos de excelência: Nesta etapa, deverá ser realizada uma pesquisa para identificar quem está melhor posicionado nas atividades consideradas importantes pela organização. Antigamente este processo era lento e custoso, mas hoje com a internet, é possível encontrar muita informação de qualidade gratuitamente.
  • Identificação dos métodos de melhoria praticados no mercado: Após identificar os “campeões”, é hora de entender como eles chegaram lá. Isso pode ser feito com pesquisa, simulações, perguntas e etc.
  • Definição do método de alcance do resultado desejado: Aqui se estuda a melhor forma de se atingir o resultado praticado pelo “campeão”. É a fase em que se integra as respostas conseguidas na 1ª e 2ª etapas.
  • Implementação de um plano de ação: Uma vez identificado o método a ser utilizado, deve ser gerado um plano de ação para alcançar o resultado pretendido. O plano deverá ser redigido com atividades práticas com datas e responsáveis.
  • Retroação: Após a execução do plano de ação, observa-se o resultado e se compara com o objetivo. Caso ele tenha sido atingido, inicia-se um plano de melhoria. Caso contrário, deve ser elaborado um plano de correção.

É possível fazer benchmarking em mercados com poucos dados divulgados?

Até alguns anos atrás, benchmarking era uma atividade para grandes empresas, já que as pesquisas para obtenção dos dados eram caras. Hoje, com a internet, as coisas mudaram, é possível fazer pesquisas e obter uma infinidade de dados gratuitamente. Além do mais, os institutos de pesquisa passaram a disponibilizar conteúdo online, tornando a informação profissional muito mais barata.

Portanto, é sim possível que as empresas pratiquem benchmarking em níveis de resposta razoavelmente bons, utilizando dados obtidos de forma gratuita ou muito barata.

O benchmarking é uma excelente estratégia para organizações que querem aprender com erros e acertos de outras empresas. Contudo, é necessário entender que a boa gestão é feita de muitas ferramentas, sendo esta apenas uma das muito eficazes disponíveis atualmente. Nem sempre os resultados observados externamente darão o mesmo resultado para sua empresa. Portanto, é necessário cautela e planejamento para usar esta metodologia.

 

 

E aí, gostou das dicas deste artigo? Nós, da BizCapital, estamos aqui para ajudar empresários que desejam ver o seu negócio decolar! Para conferir outras dicas sobre o mundo do empreendedorismo, siga as nossas redes sociais: Facebook, LinkedIn e Instagram.

Conheça melhor a nossa empresa pelo site www.bizcapital.com.br e para solicitar um empréstimo sem garantias de maneira rápida e fácil, acesse: direto.bizcap.com.br 😉

ver tudo sobre: dicas de gestão