18 out 2018

BizCapital, fintech brasileira, recebe aporte de investidores americanos para expandir

BizCapital, fintech brasileira, recebe aporte de investidores americanos para expandir

No mercado desde 2016, a BizCapital recebeu no mês passado mais um aporte de investidores para expandir. É o terceiro em pouco mais de dois anos de funcionamento. Mas o que atrai tanto os olhos e desperta o interesse de quem entende do assunto? Como e por que as fintechs vêm ganhando cada vez mais espaço no Brasil? Como elas funcionam e de que maneira podem facilitar a vida de micro e pequenos empresários?

Todas essas perguntas serão respondidas neste post. Continue com a gente!

Como o mercado de fintechs vem crescendo no Brasil?

São chamadas de fintechs as empresas que, fazendo uso da tecnologia, conseguem propor soluções financeiras inovadoras que facilitam e desburocratizam os serviços para o consumidor final.

Por apresentarem propostas bem mais vantajosas do que as instituições comuns, as fintechs vêm ganhando a preferência de micro e pequenos empreendedores que precisam contrair crédito sem colocar em risco a saúde financeira do seu negócio.

Quando são comparados aos empréstimos tradicionais, feitos diretamente em bancos, as fintechs apresentam muitos benefícios, como facilidade na solicitação da proposta, transparência no decorrer do processo, agilidade para receber o dinheiro no tempo certo e menores taxas.

De acordo com o Mapa de Fintechs, divulgado em maio deste ano, hoje existem 377 fintechs no Brasil. No que se refere ao nível de maturidade, os números são bem expressivos. De todas elas, 37% afirmam que estão em fase de expansão e 31% já estão prontas para escalonar.

BizCapital recebe aporte de R$ 20 milhões de investidores estrangeiros

No radar dos investidores estrangeiros, a BizCapital recebeu, em setembro de 2018, um novo aporte de R$ 20 milhões da Quona Capital, empresa de capital de risco dedicada à tecnologia financeira para inclusão em mercados emergentes, e dos fundos Monashees e Chromo Invest.

Segundo Jonathan Whittle, sócio da Quona Capital, em entrevista para o portal ComputerWorld, “o Brasil está no início de um reordenamento fundamental de seus serviços financeiros, impulsionado por startups como a BizCapital, que usam tecnologia e um modelo inovador de negócios para atender às necessidades de empresas carentes. A BizCapital é uma inclusão importante ao nosso crescente portfólio de investimentos focados em empréstimos para pequenas empresas”.

O investimento será utilizado para investir em mais tecnologia, preparar a companhia legalmente para entrar com um pedido ao Banco Central para se tornar uma Sociedade de Crédito Direto (SCD) e como capital de giro para expandir no próximo ano.

Com o objetivo de aprimorar a plataforma digital e automatizar os processos, o primeiro aporte foi recebido em setembro de 2016 e a segunda rodada de investimentos, em janeiro de 2018.  

Como as fintechs estão deixando o dinheiro “mais barato”?

Além das altas taxas de juros – consideradas as maiores no mundo todo -, a burocracia dos bancos brasileiros faz com os empresários percam tempo e dinheiro. Por isso, é muito comum na realidade do micro ou pequeno empreendedor a dificuldade para contrair o crédito necessário na hora de expandir o seu negócio.

Assim, uma ótima opção para simplificar essa prática são as startups do setor financeiro. As horas de espera na fila do banco e os procedimentos demorados são substituídos pela comodidade, segurança, transparência e rapidez de fazer tudo com apenas um clique no seu computador, tablet ou smartphone.

Através do uso da tecnologia, as fintechs desenvolvem ferramentas que conseguem prever o comportamento do consumidor, reduzindo os riscos, prevenindo fraudes e, consequentemente, deixando as operações mais flexíveis e os empréstimos mais rápidos e baratos, para que o empreendedor possa focar no crescimento da sua empresa.

A integração de informações facilita o acesso ao crédito para micro e pequenos empresários

Compras, emissão de notas fiscais, mensuração de resultados, vínculo com instituições de proteção ao crédito, entre outros. Hoje em dia, todas as nossas atividades podem ser registradas e quantificadas.

Por meio da integração de informações e sem violar a privacidade de cada organização, todos esses dados específicos de cada solicitante podem ser acessados e verificados para tornar o processo de concessão de um empréstimo mais preciso e confiável.

Dessa maneira, as propostas oferecidas pelas fintechs podem ser personalizadas e moldadas à realidade específica de cada cliente, proporcionando um resultado mais justo, satisfatório e outras vantagens, como maior produtividade e lucratividade para a sua empresa.

 

Tem interesse em saber mais? Conheça o nosso site e entenda como funciona: www.bizcapital.com.br

ver tudo sobre: biz na mídia