09 out 2018

Como expandir seu Negócio sem Impactar seu Fluxo de Caixa

Como expandir seu Negócio sem Impactar seu Fluxo de Caixa

Como expandir seu negócio? Essa pergunta é muito comum na rotina de qualquer empreendedor. As pequenas e médias empresas, geram a maior parte dos empregos brasileiros, além de representar uma grande parcela do PIB. Contudo, são também, as que mais têm dificuldades de crescer e as que mais quebram nos primeiros anos de operação.

Então, a expansão do negócio afeta diretamente seu fluxo de caixa, o que pode complicar as finanças e até quebrar a empresa.

O que é fluxo de Caixa?

O fluxo de caixa é a quantidade de dinheiro que um negócio produz, ou queima, mensalmente. Diferentemente do lucro líquido, que mede o resultado econômico, o fluxo de caixa mede o resultado financeiro, ou seja, o dinheiro. Assim, o fluxo de caixa servirá para duas finalidades, remunerar sócios e credores e investir na expansão da empresa.

Geralmente, o fluxo de caixa se divide em 3 partes, operacional (FCO), financiamento (FCF) e investimento (FCI). Neste sentido, um negócio saudável, apresentará fluxos de caixa operacionais (FCO) estáveis ou crescentes, o FCI também deve ser estável ou crescente.

Assim, se a empresa está aumentando os lucros, o FCO cresce, se está aumentando o endividamento, o FCF cresce. O FCI por sua vez, mede o quanto a empresa está investindo (ou desinvestindo) na sua expansão.

Como expandir e manter o fluxo de caixa organizado?

Manter o fluxo de caixa organizado é a tarefa principal de toda empresa. Se não há muito controle de entradas e saídas, muito provavelmente a empresa não terá recursos suficientes para operar eficientemente.

Dessa maneira, o ideal é que se construa uma demonstração de fluxo de caixa, que seja alimentada diariamente. Além do mais, deve haver alimentação das demonstrações futuras, para prever o saldo de caixa nos próximos períodos. A empresa não pode confundir capital de giro com recursos para investimentos, caso o faça, terá dificuldades operacionais.

Por fim, não se pode elevar as saídas de caixa, sem uma contrapartida na entrada. Imagine uma empresa que esteja financiando uma máquina, ela vai aumentar a saída de caixa, mas espera que o equipamento aumente seus ganhos, gerando então o equilíbrio financeiro.

Como expandir seu negócio impacta o caixa?

Reformar ou expandir um negócio afeta diretamente o caixa porque requer investimento. O grande problema é que o retorno deste investimento não vem logo em seguida, leva um tempo para ocorrer.

Imagine o caso de uma loja de roupas que esteja pensando em reformar seu espaço para deixá-lo mais atraente. Digamos que a empresa possua R$ 100 mil para o projeto. Ela pode optar por fazer a reforma ou comprar mercadorias. Se comprar em mercadorias, os R$ 100 mil retornam rapidamente ao caixa, assim que as roupas forem vendidas. Entretanto, se fizer a reforma, o valor demorará a voltar.

Todavia, o grande dilema do dono da empresa é: a reforma pode aumentar os lucros em longo prazo, mas diminui o saldo de caixa no presente. Como decidir qual é a melhor opção?

A solução, na maior parte das vezes, é tomar crédito no mercado. Este processo tem sido facilitado e barateado pelas fintechs de empréstimos online. Desta forma, o empresário pode garantir a expansão do negócio, sem ter que defasar seu caixa.

Como tomar um empréstimo no momento errado pode influenciar o capital da empresa?

Na outra ponta, está o empresário que, sem o devido planejamento, toma um empréstimo na hora errada, prejudicando o caixa. Imagine o mesmo caso da loja de roupas, digamos que ela seja o primeiro empreendimento de alguém. Se logo no início, antes de conhecer bem o negócio, o empresário toma um empréstimo para expandi-lo, o risco aumenta.

Por isso, caso o empresário não tenha uma noção muito boa do que está fazendo, ele pode estar forçando a empresa. Se o esforço de caixa for maior que a capacidade de elevação dos lucros, a empresa quebrará. Dessa forma, é muito importante conhecer bem o negócio antes de tomar um empréstimo.

As fintechs podem ajudar, concedendo o crédito certo para cada momento.

Como montar um fluxo de caixa para sua empresa?

Uma demonstração de fluxo de caixa pode ser montada de acordo com o seguinte esquema:

Fluxo de Caixa Total do Mês

(+) Fluxo de Caixa das Atividades Operacionais

(+) Lucro Líquido do Exercício

(+) Depreciação

(-) Receitas Financeiras

(+) Despesas Financeiras

(+) Fluxo de Caixa das Atividades de Investimento

(+) Operações de Crédito

(+) Venda de Ativos de Capital (máquinas, imóveis, melhorias, etc.)

(-) Compra de Ativo de Capital (máquinas, imóveis, melhorias, etc.)

(+) Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento

(+) Integralização de Capital (novos aportes do sócio)

(+) Depósitos à Vista

(=) Fluxo de Caixa Total do Exercício

No esquema exposto, cada uma das linhas será contabilizada para formar um dos fluxos de caixa. Após somarmos os 3 fluxos (FCO, FCI e FCF), temos o fluxo de caixa total do exercício.

Repare que o lucro líquido é apenas uma linha na montagem do fluxo de caixa. Muitos empresários confundem lucro com caixa e acabam se complicando. Lucro líquido é apenas o resultado econômico, enquanto caixa, é o resultado financeiro, dinheiro.

Como expandir o negócio sem impactar negativamente o fluxo de caixa?

Como dissemos em um dos tópicos anteriores, uma maneira eficiente de expandir o negócio sem impactar o caixa é o crédito. Neste caso, o crédito seria na forma de empréstimo online, que é simples, rápido e mais barato.

Se o empresário pode usar um dinheiro externo para expandir/reformar seu negócio, ele fará uma pressão menor sobre o caixa. Como o retorno do investimento é de longo prazo, ele pode pegar o empréstimo com prazos mais longos. Neste sentido, o ideal é que os prazos dos empréstimos sejam bem alinhados ao período de retorno do projeto desejado.

Conclusão

Por fim, a decisão de tomar crédito faz parte do dia a dia dos empresários. Pode até ser que existam algumas pequenas empresas que funcionem apenas com capital próprio. Contudo, elas sempre serão pequenas. É impossível fazer com que uma empresa cresça à taxas satisfatórias sem alavancá-la com empréstimos. Neste sentido, as fintechs vieram para revolucionar o mercado, com soluções simples e baratas aos empresários.

E aí, gostou deste artigo? Nós, da BizCapital, estamos aqui para ajudar empresários que desejam ver o seu negócio decolar! Fique de olho em nosso blog e confira outras dicas sobre o mundo do empreendedorismo.

Agora, conheça melhor a nossa empresa pelo site www.bizcapital.com.br .

ver tudo sobre: dicas de gestão