31 maio 2021

Saiba como calcular margem de lucro

Saiba como calcular margem de lucro

Se você empreende ou pretende empreender, provavelmente já se perguntou como calcular  margem de lucro, certo? Ela é um importante indicador de sucesso do seu negócio e, aliada ao capital de giro e liquidez, por exemplo, a margem de lucro ajuda a entender se a sua empresa está crescendo e evoluindo. 

É por esta razão que entender o que são as margens de lucro líquido e margem de lucro bruto, poderá te ajudar a entender, de uma vez por todas, quais clientes ou produtos estão contribuindo para o crescimento do seu negócio.

Mais que isso, neste texto você terá acesso a conceitos que certamente ajudarão você a tomar a melhor decisão na hora de comprar e vender os produtos que sua empresa precisa e oferece.

Quer saber por onde começar? Então, vem com a gente!

O que é margem de lucro de um produto ou serviço

O lucro de uma empresa representa a diferença entre o valor de venda e os custos e despesas incluídos na prestação do serviço ou na produção de determinado bem. A conta pode parecer óbvia, mas é preciso ter cuidado para que a conta seja precisa. 

Para saber o volume correto de lucro, é importante que você leve em consideração os custos indiretos e despesas relacionadas às etapas produtiva e de estocagem, por exemplo.

Para calcular o custo total, direto e indireto de um bem, você deverá levar em consideração eventuais custos com armazenagem e transporte. Vamos falar disso mais adiante.

Se você souber cada custo e cada despesa que a sua operação tem, será fácil saber quanto o bem ou serviço deixa de lucro para o seu negócio.

Como calcular margem de lucro

Dando mais um passo nessa análise, saber o volume de dinheiro que “sobra” para a empresa não é suficiente. Para um bom acompanhamento do crescimento do seu negócio, é importante que você saiba qual a margem de lucro presente em cada operação. 

Vamos imaginar que você venda um produto A, cuja receita seja igual a R$100,00, e os custos embutidos no bem são de R$80,00. Neste caso, o lucro associado a este produto será de R$20,00. Agora, imagine que você venda também um produto B por R$20,00, e os custos associados a ele somam R$10,00, Aqui, o lucro desta operação será igual a R$10,00.

Além do volume do lucro, existe uma importante diferença entre as duas operações com relação à margem. A margem do produto A é igual a 20%, já a margem do produto B é igual a 50%. Em termos de rentabilidade, o produto B é melhor para a empresa.

Para calcular a margem de lucro você precisa dividir o lucro, obtido através da conta (receitas-despesas), pela receita. Vamos aos cálculos:

Produto ou serviço A:
100,00 – 80,00 = 20,00
20,00 ➗100,00 = 0,20
0,20 x 100 = 20%

Produto ou serviço B:
20,00 – 10,00 = 10,00
10,00 ➗ 20,00 = 0,5
0,5 x 100 = 50%

Assim, você pode estabelecer que a margem do produto A é igual a 20%, enquanto a margem do produto B é igual a 50%.

Leia também: como fazer a gestão de custos da sua empresa

Margem de lucro bruto x margem de lucro líquido

Já sabemos, então, o que é margem de lucro. Agora, precisamos entender a diferença entre margem de lucro bruto e margem de lucro líquido.

Até aqui, o que vimos foi a margem de lucro bruto, que considera apenas os custos diretos ligados à produção do bem ou prestação do serviço.

A margem de lucro líquido levará em consideração os custos indiretos, como despesas e impostos, por exemplo. Esse exercício é importante para saber, de fato, quanto é que “sobra” para a empresa.

Para simplificar, vamos atribuir uma alíquota de imposto de 10% e despesas que somam 5% do total do custo direto dos produtos A e B antes dos impostos.

Produto ou serviço A:
100,00 – 60,00 – 10,00 (impostos) – 3,00 (despesas) = 27,00
27,00 ➗100,00 = 0,27
0,27 x 100 = 27%

Produto ou serviço B:
20,00 – 10,00 – 2,00 (impostos) – 0,50 (despesas) = 7,50
7,50 ➗ 20,00 = 0,375
0,375 x 100 = 37,5%

Leia mais: como calcular o capital de giro líquido da sua empresa?

É lucro ou rentabilidade?

Tão importante quanto saber sobre margens de lucro bruto e líquido, é saber o que, de fato, traz rentabilidade para o seu negócio. Caso você atenda diversos clientes com produtos ou serviços variados, é fundamental observar a rentabilidade de cada um deles. 

Por diversos motivos, como força de contrato, um cliente pode entregar margens de lucro menores ou maiores para a sua empresa. 

É relevante que você entenda quais são os clientes que entregam uma margem de lucro que atenda à sua expectativa e, portanto, que contribuíram para o crescimento do seu negócio. O mesmo conceito vale para os produtos. 

A rentabilidade é um indicador de retorno, ou seja, a partir do valor inicialmente investido, é possível descobrir se o seu negócio está rendendo ou não. 

Por exemplo, se o investimento que você fez na empresa foi de R$10 mil e o lucro total que sobrou ao final foi de R$1,5 mil, calcula-se: (R$1.500,00 ➗ R$10.000,00) ×100. Assim, a rentabilidade anual desse empreendimento é de 15% ao ano.

Perceba que a rentabilidade não aborda o conceito dos custos e despesas, mas do investimento. Assim, com os indicadores de lucro e rentabilidade, você saberá se o seu negócio está crescendo de forma saudável e, ainda por cima, trazendo retorno. 

Como expandir seu negócio

O sonho de todo empreendedor é de que sua empresa cresça de maneira sustentável. Por isso, quando chega o momento em que o seu negócio parece já ter atingido o máximo de crescimento que ele é capaz de gerar, a expansão empresarial pode ser uma ótima estratégia para que sua empresa continue gerando cada vez mais lucro. 

Dentro de um plano de expansão, você pode incluir a abertura de novas filiais, criar um novo produto ou serviço, fazer uma fusão, adotar novos canais de venda ou entrar em novos mercados, por exemplo. Tudo isso, claro, com o objetivo de tornar o seu negócio mais lucrativo e rentável.

E para crescer, é preciso muito planejamento, um plano de expansão bem estruturado e capital para fazer todos os investimentos necessários. Neste momento, o empréstimo PJ pode ser uma boa alternativa para você.

“Antes de decidir se é o momento para pedir crédito PJ, o empreendedor precisa estar atento, principalmente, à fase atual do seu negócio. O empréstimo empresarial deve ser visto sempre como um facilitador de crescimento para a empresa, desde que seja sempre bem planejado e estruturado para caber nas contas. Afinal, a ideia é que ele ajude os negócios a lucrar, não a se endividar ainda mais”, explica Cristiano Rocha, diretor de crédito e cofundador da BizCapital.

Empréstimo PJ online para expansão do negócio

As fintechs mudaram totalmente o paradigma do crédito PJ e, hoje, já é possível ter acesso ao dinheiro em apenas algumas horas. No geral, as fintechs realizam uma análise mais personalizada do cliente, levando em consideração o histórico de cada negócio e suas necessidades, a estabilidade financeira, o tempo de mercado e o faturamento médio mensal. Assim, elas conseguem estabelecer condições e taxas de juros mais atrativas ao empreendedor.

A BizCapital, por exemplo, acaba de anunciar o novo limite máximo aos clientes da linha de crédito PJ. A partir de agora, a empresa oferta até R$400 mil (o dobro do teto anterior) para empresas que tenham, pelo menos, 12 meses de CNPJ ativo.

“Nosso propósito é, e sempre foi, oferecer recursos e soluções (como crédito PJ e conta PJ digital) para que as pequenas empresas possam crescer sem a burocracia e a dificuldade do sistema financeiro tradicional. Com o novo limite de R$400 mil, conseguimos contribuir ainda mais com o crescimento dos empreendedores brasileiros, mantendo a simplicidade e o senso de urgência que existem desde o nascimento da Biz”, comenta Francisco Ferreira, CEO e cofundador da BizCapital.

Na BizCapital, você pode solicitar até R$400 mil de BizCred, empréstimo PJ online, com parcelamento em até 24x e taxas a partir de 1,99% ao mês. Para fazer uma simulação agora, é só clicar no botão abaixo:

E aí, entendeu como calcular margem de lucro? Então, compartilhe essa informação com sua rede de contatos e bons negócios para você 🙂

André Galhardo é economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor universitário nos cursos de Ciências Econômicas, Administração e Relações Internacionais, coordenador do Grupo de Pesquisa DEPEC da UNIP e Mestre em Economia Política pela PUC-SP. Possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, e é autor do livro “O Salto do Sapo: a difícil corrida brasileira rumo ao desenvolvimento econômico”.

ver tudo sobre: guia financeiro