29 set 2020

Educação financeira para empreendedores: Confira 5 dicas!

Educação financeira para empreendedores: Confira 5 dicas!

A organização da vida financeira da sua empresa é muito importante para a manutenção sustentável das suas atividades. Dessa forma, certamente a educação financeira pode ajudar qualquer empreendedor que esteja organizando e planejando as finanças do negócio. 

Sabemos que boa parte dos empreendedores lida com diferentes elementos do seu negócio. Muitas vezes, precisa atuar não só como o proprietário, mas também como vendedor da empresa, o marketing, o RH, entre outros.

Diante de tantas responsabilidades, conhecer profundamente e ter o controle sobre as finanças da empresa pode ser um passo fundamental para ter o caminho do sucesso nas suas mãos. Por isso, hoje trouxemos este post com cinco dicas de educação financeira para empreendedores.

1. Separe as finanças da empresa das suas finanças pessoais

Um dos passos mais importantes em ter controle sobre as finanças do seu negócio, é ter a disciplina de separar a vida financeira da empresa, da vida financeira da pessoa física. 

Sabemos que muitas vezes, é mais fácil fazer um pagamento de conta pessoal utilizando o conta da empresa, ou receber o pagamento de um cliente em dinheiro e depositar na conta pessoa física. No entanto, é importante lembrar que estes são dois mundos financeiros que devem ser mantidos separados sempre. Afinal, como será possível entender de verdade a situação financeira da sua empresa se os custos e recebíveis dela estão entrando e saindo por diversas fontes?

Aqui, o primeiro passo é simples: tenha contas bancárias separadas para a pessoa física e a pessoa jurídica. Depois disso, é necessário ter disciplina. Não se deixe ser vencido pela preguiça ou comodidade, sempre faça os seus pagamentos e recebimentos através das contas corretas para manter o fluxo de caixa do negócio sempre separado.

2. Acompanhe o seu fluxo de caixa, custos e lucro

Agora que você já separou as suas contas pessoais das da empresa, você poderá ter uma visão mais clara sobre o seu fluxo de caixa. Ou seja, toda a visão sobre o que entra e sai financeiramente da sua empresa. 

Além de saber o total de pagamentos e recebíveis que você tem todo mês, você deve entender o que constitui cada um deles. Por exemplo, quais são as suas linhas de custos específicas? Quanto você paga em cada uma delas por mês? Dessa forma, quando você tiver uma conta que vier muito acima do normal, você saberá identificar que pode haver um problema e corrigi-lo antes de que isso tenha um impacto negativo nas suas finanças.

O mesmo conceito se aplica aos recebíveis. Se você acompanha quanto recebe de cada cliente, ou por cada canal de venda todo mês, quando houver uma mudança grande em um destes números você poderá tratar do problema de forma mais rápida e focada. 

Além dos pagamentos e recebíveis, um terceiro número importante que nasce destes dois é o lucro do seu negócio. Conhecendo bem, e monitorando os custos e recebíveis do seu negócio, você poderá entender o quanto de lucro a sua empresa está gerando

3. Planeje para o curto, médio e longo prazo

Quando falamos de dinheiro, o planejamento é sempre o seu maior aliado. Mas precisamos ficar atentos ao planejamento financeiro não só para o momento atual,mas também pensar sobre o curto, médio, e longo prazo da empresa.

O processo de planejamento requer que você leve em consideração a situação da sua empresa, os objetivos que você tem para o seu negócio, e como você pretende chegar lá. 

Por exemplo, se hoje você fatura R$20.000 por mês, e gostaria de aumentar isso para R$40.000. Como você planejaria fazer isto? Seria vendendo mais do mesmo produto, ou introduzindo novos produtos? Você precisaria contratar novos vendedores ou vai investir em vendas online? Em quanto tempo você prevê esse aumento de faturamento? É algo que aconteceria com pouco investimento ao longo de muito tempo, ou talvez algo que requer um investimento intenso mas que pode trazer o resultado rápido?

Além de entender os seus objetivos e planejar seus próximos movimentos, você deve sempre dividir estes objetivos em curto, médio, e longo prazo. Ter objetivos nestes três horizontes te ajuda a se organizar financeiramente para custos (e para a expectativa de retorno) em diferentes momentos do futuro da empresa. 

4. Se informe sobre impostos e custos trabalhistas

Quando falamos de assuntos financeiros, surpresas geralmente não são bem vindas. No entanto, sabemos que coisas inesperadas podem acontecer em toda empresa. O processo de se preparar e estar bem informado sobre a movimentação do negócio, pode te ajudar a evitar boa parte delas. 

Os dois assuntos chaves que podem te ajudar a evitar grandes custos surpresas são os impostos e os custos trabalhistas que podem impactar o seu negócio.

Este artigo do SEBRAE traz uma lista dos “Principais Tributos que Todo Empreendedor Precisa Conhecer”. De imposto de renda PJ, ao IPTU, ICM, ISS, e todos os outros que se encaixam nessa sopa de letrinhas tributária, vale a pena conferir e se familiarizar com o assunto. E, falando em impostos, lembre-se que você deve buscar entender estes custos não só no nível federal, mas também no estadual e municipal. 

Quanto aos custos trabalhistas, você deve se informar bem sobre as normas e encargos que se aplicam ao tipo de contratações que você faz e ao regime fiscal que a sua empresa utiliza (por exemplo empresas que aderem ao Simples Nacional podem ter diferentes encargos trabalhistas de empresas que usam o regime de Lucro Presumido). Regras como férias, 13° salário, contribuições de FGTS, previdência, INSS, custos de rescisão, dentre outros custos, podem ter um peso grande no orçamento da sua empresa. É importante que você entenda estes custos e se organize para arcar com eles quando necessário.

5. Invista no controle financeiro da sua empresa

As vezes precisamos gastar um pouco para poupar grandes problemas mais a frente. Se o controle financeiro da sua empresa é um assunto qual você não consiga dar atenção suficiente no dia-a-dia do seu negócio, pode valer a pena contratar um prestador de serviço para te apoiar nesta frente. Seja um contador ou assessor financeiro que podem rotineiramente ajudarem com o controle financeiro, ou até algo mais simples como um aplicativo ou plataforma online que ajude com este controle de pagamentos e recebíveis.

Dependendo do tamanho da sua empresa, você pode precisar de uma solução simples ou mais complexa. Começando pelas soluções de aplicativos e plataformas digitais, e indo até a contratação de um time completo para gerenciar o seu setor financeiro, não existe apenas uma solução ideal. Todo empreendedor deve avaliar as necessidades da sua empresa para entender que solução é necessária para o seu negócio. 

E lembre-se: a educação financeira nunca deve parar! Acompanhe as novidades e aprenda a cada dia.

Como todas as áreas de educação, a educação financeira está sempre se desenvolvendo e trazendo novidades. É importante ficar atento, e aplicar novos métodos e inovações à gestão do seu negócio. 

Por exemplo, você já conhece o Pix? Este é o novo sistema de pagamentos instantâneos que será implementado pelo Banco Central. O custo por pagamento será muito mais baixo e pode te ajudar a economizar nos gastos da sua empresa. Este, e outros tipos de inovações, mudanças em regulamentações financeiras, e outras novidades podem te ajudar na gestão das finanças do seu negócio e te ajudar a se beneficiar da educação financeira cada vez mais.

Não se esqueça de ficar de olho no nosso blog para acompanhar assuntos relevantes para a vida do empreendedor. Aprenda cada vez mais junto com a Biz! 

Você pode também acompanhar estas e outras novidades nas nossas redes sociais. Conecte com a Biz no Instagram, Facebook, e LinkedIn.

ver tudo sobre: dicas de gestão