03 Maio 2021

Entenda o que é Roi e como calcular o da sua empresa

Entenda o que é Roi e como calcular o da sua empresa

Já se perguntou o que é ROI? Podemos adiantar que, para qualquer empreendedor de sucesso, o ROI é fundamental para medir o crescimento do negócio. Ficou curioso para saber mais a respeito? Então, vem com a gente que vamos explicar o que você precisa saber sobre o tema!

O que é ROI

ROI é a sigla para Return on Investment que, traduzido para o português, significa Retorno sobre Investimento. Essa é uma das métricas mais usadas para que a empresa consiga mensurar seus ganhos com os investimentos que realiza. Na análise de negócios, o ROI é usado para avaliar e classificar a atratividade de várias alternativas de investimento diferentes. 

A vantagem do ROI é sua simplicidade e versatilidade, uma vez que ele pode ser utilizado tanto para avaliar o retorno potencial de um único investimento quanto para comparar os retornos de vários investimentos. 

Como calcular o retorno de investimentos

Todas as empresas querem e precisam investir, seja para se consolidar em algum segmento ou região, ou até para se aproximar dos seus concorrentes.

Acontece que existem diversos tipos de investimento e a empresa precisa estar atenta sobre a capacidade de retorno de cada um deles. Não se engane, alguns investimentos podem oferecer uma taxa de retorno abaixo do esperado  ou, pior que isso, não trazer retorno algum.

Antes de mais nada, é importante que você saiba que o retorno sobre investimentos é uma taxa, um número em percentual (%), que mostra a capacidade de retorno financeiro a partir do investimento. Para fazer o cálculo de ROI,  você precisará fazer a seguinte operação: (Receita – Custo) ➗ Custo.

Vamos supor que você realize um investimento de R$5.000 e, com isso, tenha um retorno de R$25.000. De posse destes números, você só precisará realizar os cálculos acima: 

(25.000 – 5.000) ➗ 5.000 → 20.000 ➗ 5.000 = 4.

Como falamos anteriormente, a fórmula do ROI lhe entregará uma taxa, um valor em percentual e, para saber a taxa em porcentagem, basta multiplicar o resultado por 100. Neste nosso exemplo, o retorno foi de 400%, que podemos considerar como um excelente resultado.

Agora, vamos imaginar um investimento que tenha trazido resultados menores. Digamos que a sua empresa investiu os mesmos $5.000 e o retorno obtido com tal investimento foi de apenas $10.000. 

(10.000 – 5.000) ➗ 5.000 → 5.000 ➗ 5.000 = 1

Neste caso, o retorno sobre o investimento foi bem menor, apesar de ainda expressar um percentual significativo de 100% de retorno. Por isso, além do percentual é importante avaliar o tempo em que essas receitas chegam até você.

Leia mais: como fazer uma boa gestão financeira do seu negócio

Como o ROI pode ajudar a sua empresa

Uma das coisas mais importantes em avaliar o ROI é a cultura de resultados que você irá criar dentro do seu negócio. Saber qual o retorno, de fato, de cada investimento realizado pela sua empresa, te deixará muito mais preparado ou preparada para avaliar quais investimentos são mais viáveis.

A partir do conhecimento dos valores de investimento e das receitas obtidas a partir deles, a sua empresa estará pronta para avaliar, sem achismos, o melhor caminho a tomar. Ao avaliar o retorno sobre investimentos, você estará pronto para realizar ajustes sobre a redução de custos desnecessários e sobre o aumento da lucratividade.

Como saber, por exemplo, se é melhor investir em ativos financeiros ou continuar investindo no seu negócio? A taxa mínima de atratividade (TMA) poderá auxiliá-lo com isso. 

A TMA, normalmente, está associada à taxa de juros no mercado financeiro, em outras palavras, você, empresário, só realizará investimentos se os ganhos com as atividades da sua empresa superarem os ganhos obtidos em outros canais.

Se o ROI apresentar uma taxa menor que aquela que pode ser conseguida com ativos financeiros como, por exemplo, os títulos públicos, está na hora de buscar investimentos capazes de render mais receitas ao seu negócio ou, ainda, executar ações que efetivamente compensem os seus esforços ou sua equipe.

Algumas aplicações do ROI 

Do ponto de vista de negócios, o ROI é uma métrica importante de caixa que nos ajuda a entender o tamanho dos esforços empreendidos pela empresa versus o resultado obtido. 

Para que você possa ter uma visão ainda mais prática de como o ROI pode te ajudar, o cálculo do retorno sobre investimentos tem impacto nas seguintes situações:

  • Avaliar como e quais iniciativas contribuem para a obtenção de resultados da empresa ou da área;
  • Planejar objetivos e metas com base em retornos realmente alcançáveis;
  • Identificar o prazo total de retorno dos investimentos feitos pela empresa e por qual tipo de ação realizada; 
  • Viabilizar um processo mais objetivo de tomada de decisões, baseado em números (data-driven);
  • Proporcionar um potencial aumento nos retornos e nos lucros.

Por esta razão, não se esqueça que uma parte importante de calcular o ROI, não está somente no retorno propriamente dito, mas em entender de onde vem este retorno, em estabelecer comparativos e, com isso, melhorar o processo de planejamento e tomada de decisões. 

Então, uma das maiores aplicações desta métrica em pequenas e grandes empresas tem sido no marketing, em particular, no marketing digital. Uma vez que nem todas as empresas dispõem de grande orçamento para investir em campanhas, uma prática importante para mensurar resultados é calcular o ROI de ações como e-mail marketing, mídias sociais, Google AdWords, blog corporativo, SEO, dentre outras ações.

Leia também: qual o papel do capital de giro líquido na sua empresa?

Alguns cuidados ao calcular o ROI

Agora que você já conhece muita coisa sobre ROI, não se esqueça que a avaliação destes resultados também devem inspirar cuidados.

Não se esqueça que um dos cuidados que você deverá ter ao realizar este tipo de análise diz respeito ao tempo de retorno deste investimento. Você pode, por exemplo, obter um ROI de 400%, mas em um período muito longo, ou seja, a taxa acumulada é elevada – por isso,  para alcançar esses resultados, você precisaria esperar tempo demais.

Esperar tempo demais pode significar tornar os seus investimentos ultrapassados e incapazes de trazer os resultados que você espera, além de deixá-lo em desvantagem em relação aos seus concorrentes.

Uma das formas de “escapar” deste problema é fazer a análise de forma rotineira. Isso permitirá a você uma observação constante e bastante robusta dos retornos obtidos a partir dos investimentos.

A análise rotineira também te permite  escapar de um outro problema: a sazonalidade. Caso você tenha realizado um investimento e tenha obtido excelentes resultados a partir deles, é importante levar em consideração se não se trata de um período sazonal.

Em outras palavras, é importante fazer a pergunta: as receitas obtidas a partir deste investimento serão recorrentes ou estão concentradas em três meses do ano? Se as receitas obtidas estiverem ligadas a eventos sazonais, em breve, o retorno sobre o investimento será muito menor do que aquele que você almeja.

E, por fim, mas não menos importante: tenha certeza de que o volume de receitas não tem aumentado exclusiva ou demasiadamente em função da inflação. Uma inflação ao consumidor pode ter sido transmitida pelo aumento dos seus custos e isso pode trazer a ilusão de um resultado positivo.

Como conseguir recursos para investir na sua empresa

Nós sabemos que nem sempre o empreendedor dispõe do capital necessário para investir no seu negócio, principalmente no momento atual de pandemia que o país enfrenta. Segundo um levantamento realizado pela BizCapital, o número de empréstimos PJ concedidos para empresas cresceu 16% no primeiro trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Segundo Francisco Ferreira, CEO e cofundador da BizCapital, o aumento do número de casos do Coronavírus no país pode ter sido um dos fatores que colaboraram para esse crescimento. “Muitas empresas apostaram suas fichas na recuperação e retomada do negócio já no primeiro trimestre do ano. Não foi à toa que 65% dos empréstimos foram feitos para capital de giro, investimento que supre as necessidades básicas de uma empresa e a mantém em funcionamento. A expectativa das PMEs era começar o ano garantindo a saúde financeira e crescimento sustentável do negócio, mesmo durante um período de crise”, comenta Ferreira. 

Segundo o executivo, não existe uma fórmula pronta para a retomada das empresas. “O mais importante é que o empreendedor faça um bom planejamento baseado nas particularidades do seu negócio, repense seu modelo de vendas e pesquise as possibilidades de negociar prazos, taxas de juros com fornecedores e dívidas ativas neste momento. É preciso apostar na recuperação e participar ativamente dessas mudanças. Ainda há tempo para se reerguer e crescer”, finaliza Ferreira.  

E você sabia que conseguir um investimento para o seu negócio deixou de ser um bicho de sete cabeças? Até pouco tempo atrás, era preciso ir até aos bancos ou financeiras para solicitar uma linha de crédito para micro e pequenas empresas. Mas graças aos avanços da tecnologia nos últimos anos e, principalmente, com a chegada das fintechs no país, agora é possível solicitar empréstimo PJ sem sair de casa, pelo próprio celular ou computador. Sem as inúmeras intermediações que ocorrem em bancos tradicionais, o processo fica mais simples e rápido, e as taxas acabam diminuindo. 

Na BizCapital, por exemplo, você pode pedir o BizCred, empréstimo para empresas, no valor de até R$200mil, com taxas a partir de 1,99% ao mês e com parcelamento em até 24x. Para solicitar o seu, é só clicar aqui.

E aí, aprendeu o que é ROI e como calcular o da sua empresa? Então, compartilhe essa informação com a sua rede de contatos e bons negócios para você 🙂 

Esse texto foi escrito por André Galhardo, Mestre em Economia Política pela PUC-SP, economista-chefe da Análise Econômica Consultoria, professor e coordenador universitário nos cursos de Ciências Econômicas, Administração e Relações Internacionais e coordenador do Grupo de Pesquisa DEPEC da UNIP. Possui ampla experiência em análise de conjuntura econômica nacional e internacional, com passagens pelo setor público. 

*Texto originalmente publicado em 12 de setembro de 2018.

ver tudo sobre: dicas de gestão